sábado, 18 de junho de 2011

Arnaldur Indriðason - A Voz [Opinião]

Já conhecia este autor islandês. Ainda antes do blog ter nascido, li um livro dele, Laços de Sangue, que me marcou profundamente. Ainda hoje me recordo da história e das personagens (que são comuns a este livro, a Voz). Nessa altura nem se falava de Stieg Larsson, por isso foi provavelmente com este autor que me estreei na literatura nórdica.

Há muito que não tinha uma leitura assim! O livro prendeu-me desde o primeiro instante e tornou-se de certa forma, viciante. Li este livro em qualquer coisa como dois dias! Uma leitura que se caracterizou como bastante compulsiva!

Sem rodeios, o livro começa logo com o aparecimento da polícia no local do crime, um quarto na cave de um hotel islandês. A acção decorre em plena época natalícia e um homem vestido de Pai Natal, chamado Gudlaugur Egilsson aparece morto. Pelo estado do cadáver, bem como a posição comprometedora em que se encontrava, o leitor rapidamente deduz o grau de brutalidade do crime e o detective Erlendur Sveinsson é obrigado a intervir juntamente com a sua equipa.

Para compor o ramalhete, é também descrito o caso de uma criança alegadamente espancada pelo seu pai. Terão estes dois casos algum ponto em comum?

O livro centra-se não só na investigação destes crimes como também na personagem principal, Erlendur. Como começa já a ser comum, há toda uma panorâmica de problemas familiares na vida do detective, em especial a relação peculiar entre ele e a sua filha Eva Lind. Este é portanto uma personagem complexa, que esconde os seus sentimentos. Não sei se será a própria cultura nórdica (e já em Stieg Larsson senti isto), mas de um modo geral as personagens são frias, não expondo o que sentem (exceptuando talvez Eva Lind). Talvez seja uma questão cultural...

Com isto não quero dizer que as personagens são supérfluas, até porque grande parte do livro refere um trauma de infância de Erlendur, o que o aproxima mais ao leitor. Até a vida do porteiro Gudlaugur é explorada, de forma a que sintamos afinidade (e pena) do homem.

À primeira vista não me ocorria a ligação do nome do livro com o caso, mas se tiverem a oportunidade de ler o livro, irão perceber o quão importante é a Voz na vida de todos nós. Curiosos? Não digo mais nada...!

Em relação à escrita do autor, gostei bastante. É fluída, com um vocabulário acessível. Indridason formula capítulos pequenos e por umas duas vezes ainda me fez rir, pela forma como usa brilhantemente uma pitadinha de humor. Os diálogos entre as demais personagens são bastante intensos e abundantes o que dinamiza bastante a narrativa. Até a maneira como conta acções passadas é peculiar, recuando a acção do livro até a esses momentos, para os vivenciarmos melhor.

Como a narrativa e a própria investigação do crime sempre tiveram surpresas, o desenlace não escapou a este efeito de impressibilidade. No entanto achei-o demasiado rápido (muitas pontas soltas que são explicadas apenas nesse momento, num número muito reduzido de páginas).

Só tenho uma coisa a apontar: encontrei algumas gaffes no livro, que me distraíram da leitura, ainda que momentaneamente.

Dado que é um livro que mexe com o leitor, através da história de Erlendur e Eva Lind, vai além do mero policial. Não deixa de ser um drama intenso que nos deixa a reflectir nos acasos da vida. Um livro ideal para os aficionados das leituras nórdicas que não devem perder!

6 comentários:

  1. Bem espero gostar tanto do livro cm tu. :)
    Tb já tenho o anterior dele - Laços de sangue.
    Agora a ver vamos quando terei oportunidade de le-los....

    Em termos de comparação com o Stieg não a posso fazer pois ainda não li a trilogia dele (tb está na pilha por ler.....lol)

    ResponderEliminar
  2. Foi exactamente Laços de Sangue que eu li! Nunca mais encontrei nada dele, mas agora já me indicou tudo!
    Abraço

    ResponderEliminar
  3. Olá MJ Falcão! É verdade, Laços de Sangue é um livro espectacular! Depois desse há este, A Voz e saiu recentemente O Mistério do Lago :)

    Um beijinho e votos de excelentes leituras

    ResponderEliminar
  4. Vi este hoje em promoção numa loja e estive para o comprar. Recomendas ler os anteriores antes de "A Voz"?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá! Há uma questão relativamente ao Arnaldur Indridason: o primeiro livro publicado cá em Portugal foi o Laços de Sangue que está esgotado. A Voz é o seguinte. Não perdes acontecimentos do livro antecessor, até porque o autor contextualiza o leitor. Arrisca que acho que vais gostar ;) Beijo grande e boas leituras!

      Eliminar
  5. Olá! Também comecei por ler o "Laços de sangue" e adorei! Mais tarde emprestaram-me um outro, absolutamente brilhante chamado "A mulher de verde". Li depois "A voz" e agora leio "O mistério do lago" (estou a gostar, apesar de estar ainda no princípio). Há mais algum livro dele editado em Portugal? Boas leituras!!! Ana Marques da Silva

    ResponderEliminar