terça-feira, 27 de junho de 2017

Raphael Montes - Jantar Secreto [Opinião]


Sinopse: Um grupo de jovens deixa uma pequena cidade no Paraná para viver no Rio de Janeiro. Eles alugam um apartamento em Copacabana e fazem o possível para pagar a faculdade e manter vivos seus sonhos de sucesso na capital fluminense. Mas o dinheiro está curto e o aluguel está vencido. Para sair do buraco e manter o apartamento, os amigos adotam uma estratégia heterodoxa: arrecadar fundos por meio de jantares secretos, divulgados pela internet para uma clientela exclusiva da elite carioca. No cardápio: carne humana. A partir daí, eles se envolvem numa espiral de crimes, descobrem uma rede de contrabando de corpos, matadouros clandestinos, grã-finos excêntricos e levam ao limite uma índole perversa que jamais imaginaram existir em cada um deles.

Opinião: Antes de falar sobre a obra, devo ressalvar que este é o terceiro livro de Raphael Montes que leio. Entre Dias Perfeitos e O Vilarejo, a minha preferência recaiu para este último, um livro de contos mórbidos. Agora não tenho qualquer dúvida: ainda que não tenha lido Suicidas, Jantar Secreto é o meu preferido e entrou no pódio das melhores leituras deste ano.

Jantar Secreto é uma obra que, acima de tudo, testa a ética uma vez que o tema fulcral é explícito na sinopse, focando-se em canibalismo. A minha percepção imediata é que estaria perante um livro de humor negro. Afinal de contas, a forma como este é narrado, entre a acção propriamente dita, algumas cartas, uma conversa no Whatsapp (repleta de memes estupidamente engraçados) e até uma receita de culinária, indicavam-me que, provavelmente, o tema principal teria um trato pouco sério. Como estava enganada... à medida que a trama se desenvolvia, mais me sentia numa viagem infernal.

Devo confessar que, por ser um livro que revela imediatamente a sua natureza, temia que fosse previsível. Volto a ressalvar que estava enganada: Jantar Secreto é uma obra audaz, bizarra e chocante.

Tudo começa quando um grupo de jovens sai de uma aldeola no Paraná para irem viver no Rio de Janeiro. Dante, o narrador, Hugo, Miguel e Leitão pretendem frequentar a faculdade e dividir a renda e despesas de um apartamento. Quatro anos depois, Dante trabalha numa livraria, Miguel é médico, Hugo é chef de cozinha, não alcançando trabalhos melhores do que buffets. Leitão não vingou e, apesar dos seus inúmeros skills para a informática, está em casa a comer e a aumentar de peso.

Vou omitir a situação que fez com que os quatro amigos precisassem urgentemente de quase 25 mil reais (tive que ir converter em euros para tentar perceber quanto é que era a quantia que estávamos a falar) para pagar a renda que estava atrasada em 6 meses. E basicamente, situações desesperadas requerem medidas desesperadas...

No início achei as situações hilariantes, daí a minha percepção de estar perante um livro de humor negro. A introdução de Cora, a única personagem feminina com destaque, na trama; o primeiro plano do jantar e a preparação do mesmo, incluindo um contratempo que me fez bater na testa. O livro até então assentava sobre um mórbido humor. A partir daí os acontecimentos começaram a ficar mais tensos... o divertimento deu lugar à inquietação.

O que mais me chocou foi, sem dúvida, a caracterização pormenorizada de certos procedimentos relacionados com o corpo humano. Sendo um livro que tem como enfoque o canibalismo, estão mesmo a ver que tipo de descrições estou a falar, certo? E olhem que eu já evitava ir ao talho, acho que doravante ainda serei mais adversa ao local com aquelas imagens que se instalaram na minha cabeça e teimam em não sair...
Creio que posso generalizar, este é um livro bastante sensorial: visual nas descrições e olfactivo aquando a confecção das várias receitas servidas nos jantares secretos.

Apesar de não sentir grande afinidade pelas personagens, afinal de contas não concordei com as suas acções (e por consequente a situação criada por eles), creio que estes quatro rapazes espelham bem o que foi a crise económica que se fez sentir também no Brasil. Talvez aquele sentimento estóico de querer ser independente os possa desculpar das acções que tiveram e que desencadearam consequências irremediáveis. 

O epílogo é qualquer coisa de espectacular. Tem uma reviravolta nas últimas linhas que simplesmente nem quis acreditar. Tive que reler esta passagem e absorver aquela mensagem. Fiquei estupefacta (e note-se que o capítulo final é igualmente mirabolante).

Não há palavras que qualifiquem o meu estado de espírito no decorrer desta leitura que nem 24 horas durou. Simplesmente não conseguia parar de ler, ainda que Jantar Secreto seja de difícil digestão. Um livro que, pelo carácter explícito, apenas aconselho aos leitores com estômagos mais fortes. Literalmente.

segunda-feira, 26 de junho de 2017

Heather Gudenkauf - Nem Um Som [Divulgação TopSeller]


Data de publicação: 10 Julho 2017

               Título Original: Not A Sound
               Preço com IVA: 18,79€
               Páginas: 320
               ISBN: 9789898869159

Sinopse: Para sobreviver ao perigo num mundo sem sons, todos os outros sentidos têm de estar em alerta máximo.
Após um trágico acidente, Amelia Winn perde a audição, entrando numa espiral de depressão que a leva a procurar conforto no álcool e a afastar-se de tudo o que de mais importante tem: o trabalho, o marido e, sobretudo, a enteada, que tanto ama.
Agora, passados dois anos, e com a ajuda do seu cão de assistência, Stitch, Amelia decide retomar a sua vida. Mas, quando o corpo de uma enfermeira sua amiga surge a flutuar num rio perto de casa, Amelia mergulha num mistério perturbador que ameaça destruir tudo outra vez.
À medida que as pistas começam a aparecer, o perigo volta a rondar a vida de Amelia. Quanto estará ela disposta a arriscar para trazer a verdade à superfície?

Sobre a autora: Heather Gudenkauf é uma autora norte-americana, bestseller do New York Times e do USA Today, que já conta com cinco romances publicados. Nem Um Som é o seu segundo thriller na Topseller, depois de Teia de Mentiras (2016).
Nascida no Dakota do Sul e criada no Iowa, desde muito pequena que se apaixonou pelos livros e encontrou na leitura o seu lugar de eleição, tornando-se uma leitora voraz e plantando, assim, a semente da escrita. Licenciou-se em Educação e tornou-se professora, ocupação que ainda exerce em paralelo com a sua atividade de escritora.
Vive no Iowa com o marido e os três filhos.
Saiba mais sobre a autora em www.heathergudenkauf.com

Wilbur Smith - No Rasto do Predador [Resultado Passatempo]


Com a preciosa colaboração da editora Editorial Presença, a menina dos policiais tinha um exemplar do livro No Rasto do Predador de Wilbur Smith para oferecer.
Desde já agradeço à editora e aos participantes que contribuíram para o sucesso deste passatempo. Com 117 participações válidas, as respostas correctas eram:

1. Qual é o título original da obra? Predator
2. Mencione as duas obras anteriores protagonizadas por Hector Cross: Vingança de Sangue e A Lei do Deserto (aceitei também os títulos originais)
3. Qual é a actividade profissional de Hector Cross? Ex-agente SAS, perito em Segurança Privada
4. Onde nasceu Wilbur Smith? Broken Hill, Zâmbia (ex Rodésia do Norte)

Note-se que este passatempo tinha uma particularidade facultativa: quem partilhasse o passatempo no Facebook, no seu mural e de forma pública, a participação era duplicada. Assim, quem participaria na posição 1 e cumprisse este requisito, participa com os números 1 e 2. O objectivo era divulgar o blogue aos amigos :)

E após um sorteio no random.org, a vencedora é:

29 - Ana Machado (Santo Tirso)

Parabéns à vencedora!!! A todos os que tentaram mas não conseguiram, não desistam pois terei o maior prazer em fazer estes passatempos! Boa sorte e boas leituras para todos!

Para mais informações sobre o livro No Rasto do Predador, clique aqui
Para mais informações sobre a Editorial Presença, clique aqui


sexta-feira, 23 de junho de 2017

Lançamento de O Porto das Almas de Lars Kepler


Ontem fui ao lançamento do novo livro de Lars Kepler, pseudónimo de uma dupla de escritores suecos. Apesar de não ter gostado muito deste título, sou uma grande fã de Kepler e não poderia deixar de estar presente.






Levei todas as suas obras. Não fazia sentido não as levar todas quando tenho um carinho especial pelas tramas protagonizadas por Joona Linna.


O evento foi muito bem conduzido por Ana Agostinho que fez algumas perguntas interessantes aos autores. Estes explicaram que o nome Lars Kepler tem inspiração num dos nossos autores suecos preferidos, Stieg Larsson e elegeram o thriller como dos géneros preferidos. Depois de ler tantos e ver tantos filmes, não tinham como não enveredar por este género. Desmistificaram um pouco sobre o seu processo de escrita, análogo ao da outra dupla que conheci, Erik Axl Sund, a escrita a quatro mãos e troca de impressões via email.
Sobre o novo livro, relataram que este tem uma inspiração muito pessoal: o pai de Alexander teve que colocar um pacemaker e aquando a intervenção cirúrgica, teve uma pausa cardiorrespiratória de 5 minutos. Felizmente, ele sobreviveu, confidenciando mais tarde à família que durante o tempo em que esteve entre a vida e a morte foi parar a um porto. Seria o Porto das Almas sobre o qual assenta a nova história de Kepler.

Foi um final de tarde muito bem passado. Gostaria de endereçar os meus agradecimentos à Porto Editora por nos ter proporcionado este encontro com os autores. Valeu mesmo a pena e os meus exemplares de Lars Kepler tornaram-se mais especiais.


quinta-feira, 22 de junho de 2017

Lars Kepler - O Porto das Almas [Resultado Passatempo]


Com a preciosa colaboração da editora Porto Editora, a menina dos policiais tinha um exemplar do livro O Porto das Almas de Lars Kepler para oferecer.
Desde já agradeço à editora e aos participantes que contribuíram para o sucesso deste passatempo. Com 64 participações válidas, as respostas correctas eram:

1. O Porto das Almas é o primeiro livro de uma série de Lars Kepler. Como se chama essa série? Playground
2. Como se chama a protagonista desta nova série? Jasmin
3. Qual foi o primeiro livro publicado em Portugal por Lars Kepler? O Hipnotista

Note-se que este passatempo tinha uma particularidade facultativa: quem partilhasse o passatempo no Facebook, no seu mural e de forma pública, a participação era duplicada. Assim, quem participaria na posição 1 e cumprisse este requisito, participa com os números 1 e 2. O objectivo era divulgar o blogue aos amigos :)

E após um sorteio no random.org, a vencedora é:

12 - Cristina Gaspar













Parabéns à vencedora!!! O prémio ser-te-á entregue hoje, no evento às 18h30 na Fnac do Centro Comercial Colombo.
A todos os que tentaram mas não conseguiram, não desistam pois terei o maior prazer em fazer estes passatempos! Boa sorte e boas leituras para todos!

quarta-feira, 21 de junho de 2017

Ruth Ware - A Mulher do Camarote 10 [Divulgação Clube do Autor]


Data de publicação: 5 Julho 2017

               Título Original: The Woman in Cabin 10
               Preço com IVA: 17,50
               Páginas: 344
               ISBN: 9789897243806

Ruth Ware.
Se o nome lhe é familiar talvez isso se deva às muitas comparações a Agatha Christie ou então porque ainda tem presente o primeiro livro da autora publicado em Portugal, Numa Floresta Muito Escura. 
A autora está de volta às livrarias nacionais com A Mulher do Camarote 10, um thriller pleno de suspense e reviravoltas, à boa maneira da talentosa escritora britânica.

Sinopse: Tudo começa com um convite inesperado para uma viagem de sonho. Lo Blacklock, jornalista, recebe um convite irrecusável: acompanhar a primeira viagem do cruzeiro de luxo Aurora Borealis. O serviço é exclusivo e a bordo estão vários empresários e pessoas influentes da sociedade. No entanto, a viagem ganha outros contornos para jornalista. Certa noite, testemunha aquilo que acredita ser um crime no camarote ao lado do seu.
Desesperada, denuncia o ocorrido aos responsável pela embarcação. Ninguém acredita na sua versão pois todos os passageiros continuam no navio. Blacklock decide investigar o crime por conta própria. Colocando a carreira e a própria vida em risco, ela não vai descansar enquanto não encontrar resposta para o mistério do camarote 10.
“Não aconteceu nada. Estamos todos seguros. Para de procurar."

Sobre a autora: Ruth Ware cresceu em Lewes, em East Sussex. Depois de se formar pela Universidade de Manchester mudou-se para Paris, antes de se estabelecer no norte de Londres. Casada, com dois filhos pequenos, trabalhou como empregada de mesa, livreira, como professora de Inglês de língua estrangeira e assessora de imprensa. O seu thriller de estreia, Numa Floresta Muito Escura, foi um bestseller do Sunday Times e do New York Times Top Vinte.


Robert Bryndza - A Rapariga no Gelo [Divulgação Alma dos Livros]


Data de publicação: 23 Junho 2017

               Título Original: The Girl On Ice
               Preço com IVA: 17,45€ 
               Páginas: 336
               ISBN: 9789899970588

OS SEUS OLHOS ESTÃO ABERTOS.
OS SEUS LÁBIOS PARECEM QUERER FALAR.
QUE SEGREDOS ESCONDE... A RAPARIGA NO GELO?

Sinopse: Quando um rapaz descobre o corpo de uma mulher debaixo de uma espessa camada de gelo num parque do sul de Londres, a inspetora-chefe Erika Foster é imediatamente chamada para liderar a investigação.
Ao mesmo tempo que luta contra os seus demónios pessoais, enfrenta um assassino altamente mortífero e que se aproxima tanto mais dela quanto mais próxima ela está de expor ao mundo toda a verdade. Conseguirá Erika apanhar o assassino antes de ele escolher a próxima vítima?

A vítima, uma jovem bela e rica da alta sociedade londrina, parecia ter a vida perfeita. No entanto, quando Erika começa a investigar o seu passado, vislumbra uma relação entre aquele homicídio e a morte de três prostitutas, encontradas estranguladas, com as mãos amarradas, abandonadas nas águas geladas de outros lagos de Londres.

Sobre o autor: Robert Bryndza é autor, entre outros, do bestseller internacional A Rapariga no Gelo, n.o 1 na Amazon, no USA Today e no The Wall Street Journal. Os seus livros venderam cerca de dois milhões de exemplares e foram, até ao momento, traduzidos em 26 idiomas.
Pode descobrir mais sobre o autor em www.robertbryndza.com, no Twitter e no Instagram @RobertBryndza

Imprensa
«De vez em quando, um livro faz-nos largar tudo... este é um desses livros!»
Crime Book Junkie

«Perfeição absoluta!... Mas que grandes reviravoltas! Houve momentos em que achei que tinha percebido tudo, mas estava mais do que errado! Um livro fantástico!»
The Eternal Optimist

«Uma leitura empolgante – depois de começar, é difícil largá-la.»
Rachel Abbott



terça-feira, 20 de junho de 2017

Shari Lapena - O Casal do Lado [Opinião]

Sinopse: AQUI

Opinião: Já andava com este thriller debaixo de mira, The Couple Next Door e devido a várias recomendações, já tinha o ebook em inglês para ler. No entanto, tive uma notícia estrondosa: a Editorial Presença iria publicar esta obra. Iria aguardar, com certeza, para ler esta história na minha língua materna.
No dia do encontro de leitores da editora na Feira do Livro de Lisboa, fui surpreendida com a oferta deste livro (endereço novamente os meus agradecimentos à editora!) e tive o prazer de apreciar O Casal do Lado em ante-estreia. O livro será publicado amanhã, dia 21. 

Li avidamente esta obra em apenas dois dias e quero registar as minhas considerações sobre uma história que, numa primeira análise, reúne muitas semelhanças com o mediático caso dos McCann.

Por norma, histórias de desaparecimentos de crianças consubstanciam um tema pesado que se torna ainda mais intenso quando a vítima é um bebé. Pessoalmente, desde as primeiras páginas, senti-me enredada naquele desaparecimento, envolto em circunstâncias estranhíssimas e confesso até que nunca descartei a hipótese de ter havido um infanticídio. Teria este desaparecimento proporções mais trágicas?

Contudo devo ainda afiançar que este sentimento de pesar não se instalou devidamente. Primeiro, pelos meus juízos de valor (inevitável não tecê-los): como é que uma mãe deixa uma bebé de apenas 6 meses sozinha em casa e ingere bebidas alcoólicas em pleno período de amamentação? 
Segundo, pela acção da trama, ingrediente responsável pela minha ávida leitura. Perante tantas reviravoltas, só pensava nas várias alternativas para o desenvolvimento deste caso tão ímpar. Estava completamente embrenhada naquele mistério.

O que gostei mais, aliado aos vários twists foi, indubitavelmente, a caracterização psicológica dos pais e o desvendar de segredos aliados ao casal, Marco e Anne, bem como à interacção destes com os pais de Anne, os vizinhos do lado e outras personagens com papéis mais fugazes. Note-se que existe um número restrito de personagens pelo que se torna difícil eleger culpados ou levantar hipóteses que expliquem o desaparecimento da bebé Cora, intensificando a curiosidade e a inquietação do leitor em saber o que terá, realmente, acontecido.

Os capítulos são curtos, factor que contribui para as leituras vorazes. Enquanto combatia o sono, dizia para mim "Verovsky, lês só mais um capítulo", um mantra que se repetiu em duas madrugadas. 
Por último, o livro é curto, inibindo o teor de informações supérfluas. É, como afirmei anteriormente, uma obra repleta de acção e de momentos surpreendentes. Nunca me maçou, antes pelo contrário, sempre aguçou a minha curiosidade, daí esta voracidade de leitura de O Casal do Lado.

A conclusão do caso pareceu-me verossímil, embora seja de difícil previsão. Não imaginaria, nas minhas mil e uma hipóteses, que a chave do mistério residisse naquela personagem.
Senti-me, por diversas vezes, perplexa, percepção intensificada aquando o clímax da história. Nas últimas linhas há um acontecimento final que me deixou absorta.

Em conclusão, fica uma grande satisfação em ler este thriller. Achei-o muitíssimo bem conseguido. E é já publicado amanhã para que o possam apreciar tanto quanto eu.

Para mais informações sobre o livro O Casal do Lado, clique aqui
Para mais informações sobre a Editorial Presença, clique aqui


Lars Kepler - O Porto das Almas [Opinião]

Sinopse: AQUI

Opinião: É com algum desconforto que teço algumas considerações pessoais sobre a nova obra de Lars Kepler, a primeira de uma série denominada Playground. Estava com demasiadas expectativas, afinal de contas, sou fã acérrima da dupla e acompanho-os desde a publicação de O Hipnotista, que remota a 2010.

A presente obra desvia-se totalmente dos enredos protagonizados pelos inspector finlandês Joona Linna, centrando-se num local pouco habitual, uma espécie de limbo entre os mortos e os vivos, um elemento que à partida, e numa perspectiva pessoal, se torna pouco convincente. Não me tendo despertado um particular interesse, toda a acção que tinha lugar neste cenário pareceu-me incongruente. 

Além disso, desde os primeiros instantes, tive uma sensação que que o autor não era Lars Kepler. Recordo-me de sentir aquele frio na espinha com as descrições sombrias. Li Stalker, o último livro protagonizado por Linna por cá, durante o período da noite e as sensações de medo eram palpáveis. Falo de Stalker, mas creio que é consensual, a escrita da dupla é rica em percepções sensoriais. Porém, a descrição deste dito limbo da Vida e da Morte não foi, na minha opinião, suficientemente tenebrosa ao ponto de me sentir indiferente ao mesmo.

Dos pontos positivos destaco as personagens. Não existindo uma relação de familiaridade como Joona Linna mantinha com os leitores da série, posso dizer que o meu primeiro contacto com Jasmin foi muito positivo. A protagonista feminina mostrou-se estar à altura, sendo caracterizada como uma mulher determinada, com garra. Uma mãe leoa para com Dante. 

Gostei das questões que o enredo foi levantando e que, a meu ver, configuram-se como dignas de interesse e convidam o leitor a reflectir sobre o sentido da vida e no quão efémera esta pode ser. 

Para desfrutar deste livro, o leitor terá que ir open minded e, acima de tudo, que esta série, a avaliar pelo primeiro volume, nada tem a ver com a que é protagonizada por Linna. Há duas ilações que tiro, perante a leitura desta obra: a primeira, de cariz mais pessoal, relaciona-se com o meu estado de espírito, absorta pela surrealidade da história. Eu que adoro Lars Kepler, considero que existe um fosso entre esta obra e as demais publicadas. A segunda ilação a tirar relaciona-se com a versatilidade de Kepler em tecer tramas diferentes dentro do género de thriller. Confesso que esta nova fórmula não me interessou particularmente. Os meus preferidos continuam a ser O Hipnotista e O Homem da Areia. Nutro um especial carinho pela Vidente e pelo Stalker. As obras foram avaliadas com 4 e 5 no Goodreads, sendo esta a primeira vez que dou uma classificação mais baixa a uma obra de Kepler.

Não obstante esta minha percepção à nova obra, não me demito do cargo de fã. Continuarei a seguir atentamente os seus trabalhos, com especial ênfase naqueles em que entra Jonna Linna e dia 22 lá estarei para os saudar.


Michelle Adams - Se Conhecessem A Minha Irmã [Divulgação Planeta]


Data de publicação: 21 Junho 2017

               Título Original: My Sister
               Preço com IVA: 17,99€ 
               Páginas: 312
               ISBN: 9789896579142

A estreia electrizante de um novo talento internacional no género do suspense psicológico.
Publicação em 20 países e direitos cinematográficos já vendidos.
Jogos de sombras, de fantasmas e de espelhos e uma tensão psicológica.
As duas irmãs – protagonistas desta arrepiante história -, inimigas e opostas, reconstituem pouco a pouco um par muito mais de fusão do que de gémeas. Elas são como dois pólos que se atraem e se repelem irresistivelmente.
Uma história arrepiante e trágica na mesma medida. 

Sinopse: Irini é médica e vive com o namorado, Antonio com quem mantém uma relação pouco feliz, e não tem laços com família.
Tem uma irmã, Elle, mas nunca se vêem. Quando Irini tinha três anos, os pais entregaram-na à tia para criar. Irini nunca soube por que não era desejada nem porque a desprezaram.
Após anos sem contacto, Elle começa a telefonar-lhe de madrugada. A mãe morreu e Elle insiste que Irini vá ao funeral. Achando que pode ser uma oportunidade para saber a verdade, parte para a Escócia, onde a irmã a espera no aeroporto. A visita corre muito mal, pois o pai não a quer ver e diz-lhe que tomou a opção certa quando persuadiu a mulher em dar a filha.
Por outro lado o comportamento de Elle é errático. Na manhã seguinte, Irini descobre que o pai sofreu uma overdose de Valium que ela tinha na bagarem. Parte de imediato e quando chega a casa descobre na bagagem o testamento do pai, onde lhe deixa tudo.
Quando ainda está a processar tudo o que aconteceu a polícia quer falar com ela, pois Elle desapareceu e tudo parece indicar que Irini montou um esquema para ficar com a herança. Recusando-se a ser usada mais uma vez pela família, Irini faz uma investigação paralela à da polícia e descobre segredos perturbadores e percebe que Antonio a traiu com a última pessoa que esperava, que a irmã esteve internada num hospital para doentes e que teve outra irmã que morreu em circunstâncias suspeitas.

Sobre a autora: Michelle Adams cresceu em Inglaterra e agora vive no Chipre, onde trabalha em part-time como cientista. Leu um dos romances de Stephen King quando era muito nova e ficou viciada em suspense desde então.

Imprensa
«O romance de estreia de Michelle Adams, Se Conhecessem a Minha Irmã, é provavelmente o livro mais assustador, inquietante e deliciosamente sinistro livro do ano. Este livro entranhou-se-me desde a primeira página e manteve-me viciado até ao fim.»
Cosy Books

«Um livro altamente viciante e imprevisível de leitura obrigatória para 2017.»
Whispering Stories

«Se Conhecessem a Minha Irmã é um livro com uma leitura emocionante leitura rápida e altamente viciante. A escrita convincente cria uma tensão e apreensão fabulosas. Uma estreia fantástica de Michelle Adams.»
The Bookmagnet


domingo, 18 de junho de 2017

Book Bingo - Leituras ao Sol [TBR]


Aceitei o desafio Book Bingo Leituras ao Sol, criado pelas meninas Sara, Isa e Tita :) E mais, a Dora desafiou-me a encaixar apenas thrillers. Vamos ver como corre!

Este desafio para o Verão, proposto no grupo do Goodreads, decorrerá de 21 de Junho a 22 de Setembro. Como vai ser durante o Verão, vou tentar fazer bingo :) 

As categorias são:

- Livro com a uma capa que te lembre o Verão;
Maré Viva da Cilla&Rolf Borjlind. Uma mulher a emergir da água? Claro que me lembra o Verão! :)

- Livro emprestado (da biblioteca, de um familiar ou amigo...etc);
Esta categoria é difícil. Estou constantemente a recusar livros emprestados (verdade seja dita, com tantos em casa para ler, nunca recorro a empréstimos nem da biblioteca). Felizmente o marido tem alguns livrinhos do autor Christian Jacq na sua biblioteca egiptóloga. Vai ser um desses, escolherei na altura.

- Livro recomendado por alguém;
Vou ler o Encontra-me de T.S. Monroe, recomendado pela minha querida Maria João.

- Livro do teu género preferido;
O meu género preferido é o policial e o thriller (ohh que admiração). Vou escolher um policial nórdico porque é, indubitavelmente, o meu preferido dentro do género. O Olhar da Mente de Hakan Nesser parece-me ideal!

- Livro que se passe num continente diferente do teu;
Na Sopa de Miso de Ryu Murakami, que se passa no Japão.

- Livro vencedor de um prémio literário (pode ser prémio nacional ou internacional. Não ser apenas finalista. Tem que ser vencedor. E contam tanto os livros como os autores);
Cães de Caça de Jorn Lier Horst, vencedor dos prémios Martin Beck 2014, Chave de Vidro 2013 e Riverton 2012.

- Clássico português (nesta estão incluídos autores/as considerados clássicos, como Eça de Queiroz, Antero de Quental, Júlio Dinis, entre outros);
O Mistério da Estrada de Sintra, dos estimados Ramalho Ortigão e Eça de Queiroz (com quem não tenho uma relação há coisa de 18 anos...)

- Livro adaptado a cinema ou tv;
Richard Castle e o seu Ondas de calor. Nunca vi a série e estou curiosa. Ou Crime Disse Ela, o novíssimo livro da colecção Crime à Hora do Chá. Ainda estou indecisa...

- Livro esquecido na estante (nesta categoria apenas contam livros que já tinhas anteriormente);
Fui ver ao Goodreads e um dos livros mais antigos que tenho na estante e por ler são os da Martina Cole. Segredos Mortais desta autora remota a 2009... é desta que lhe dou uma oportunidade!

- Livro juvenil ou young adult;
Tenho cá os livros da Jennifer Niven. Talvez leia o Fala-me de Um Dia Perfeito, já que tenho ouvido tão boas críticas sobre o mesmo!

- Livro de um autor de estreia para ti (um autor/a que nunca leste e queres muito ler);
Uma autora já falada pois já fora editada, não obstante nunca ter lido nada dela. É desta! Falo de Jayne Ann Krentz e vou ler o mais recente, Irmãs Secretas.

- Livro de um autor lusófono;
Jantar Secreto de Raphael Montes. Já li dois livros do autor e há muito que estou curiosa com este título.

- Livro do género chick -lit (para quem não sabe, um romance muito fofinho);
Romances muito fofinhos são mesmo a minha cara... not! Mas tenho cá Os Sapatos de Valéria, porque não? Consta ser um Sexo E A Cidade espanhol. Vai ser bom desenjoar dos crimes com este livro, parece-me! 

- Livro que se passe num local onde gostarias de passar férias;
Está tanto calor que eu só penso em ir para um país frio para umas férias. Um país escandinavo não seria mau de todo! Islândia? Pode ser, tenho uma vontade de conhecer Reiquejavique... Então opto por Neve Cega de Ragnar Jonásson.

- Uma BD, Mangá ou Graphic Novel;
Tenho cá uma graphic novel, que por acaso nem é o meu género de literatura mas o tema pode eventualmente interessar-me. A Study in Scarlet, baseada na história de Sir Arthur Conan Doyle.

- Um livro do/a teu/tua autor/a preferido/a;
Ora aqui estou com um dilema. Não tenho livros de autores preferidos por ler pois leio-os mal saem. Mas há um lançamento com o qual estou particularmente curiosa por ter adorado o livro de estreia da autora. Falo de Clare Mackintosh e está quase aí o próximo livro dela, publicado pela Marcador, Estou a Ver-te. Uma opção válida, tendo em conta que a autora tem tudo para se tornar uma preferida! 

Vamos lá ver como corre este desafio! Boa sorte aos participantes! 

A Estante está mais cheia [Especial Feira do Livro]


A Feira do Livro de Lisboa termina amanhã e eu já fechei a loja no que concerne às compras. Depois da minha auto-humilhação (que podem rever neste post), achei que este mês ia comprar menos. E foi o que, de facto, aconteceu. Apesar da pilha parecer grandinha, o tamanho serve só para despistar. Comprei 4 livros:
- Todos os Contos de Edgar Allan Poe, tendo-me custado 12,20€ em livro do dia.
- O Caso da Quinta Avenida de Anna Katharine Green, cerca de 7€ (novidades nunca têm um preço apelativo, como se sabe)
- Terra dos Sonhos de Dennis Lehane. Era o único que me faltava dele, que sorte! Foi 5€ num alfarrabista
- Morrer Duas Vezes da Tess Gerritsen, 15€ na Círculo de Leitores. Teve mesmo que ser!

Ofertas do marido: 
- O Rapaz que Seguiu Ripley de Patricia Highsmith (e agora tenho a série completa!!!)
- A Sala do Crime de P.D. James 
E hoje foi ele que pagou o estrago nos alfarrabistas: Shining (uau esta edição!) e O Ferrão da Morte da Ruth Rendell. I am such a lucky girl!

Ofertas:
De uma amiga, O Casal Fiel que saiu na tômbola da Editorial Presença. Adoptei-o mas acho que não é bem o meu estilo... Tenho que lhe dar uma oportunidade para comprovar.
O azulinho, cuja lombada não é completamente visível, é A Luz dos Meus Olhos - Uma Viagem Interior de Reliane de Carvalho. Foi ganho hoje num sorteio e tive oportunidade de conhecer a autora. Curiosamente, na minha adolescência, ligava muito à questão das energias (tive até uma fase de filosofia budista) antes de enveredar pela Ciência e ter abandonado esta minha faceta. Algo no universo quis que eu a reencontrasse e voilá, ganhei o sorteio. Ouvi com grande curiosidade, a sapiência da autora sobre esta questão da atitude positiva. Quiçá comece a introduzir a meditação no meu dia-a-dia, inspirada por este livro.
Os Vampiros antigos são ofertados em compras no espaço Porto Editora. 

Este ano comportei-me, como pretendia. Podia ter sido melhor? Sim, sem dúvida. Mas é a feira do livro... e há que celebrar com pompa e circunstância. A feira termina agora e já deixa saudades... 
Até 2018, FLL! 

quarta-feira, 14 de junho de 2017

Shari Lapena - O Casal do Lado [Divulgação Editorial Presença]


Data de publicação: 21 Junho 2017

               Título Original: The Couple Next Door
               Tradução: Maria João Lourenço
               Colecção: Grandes Narrativas #664
               Preço com IVA: 17,50€ 
               Páginas: 296
               ISBN: 9789722360487 

Sinopse: Cynthia disse a Anne que não levasse a filha Cora, a bebé de seis meses, para sua casa na noite do jantar para que ela e o marido Marco tinham sido convidados. Não era nada de pessoal. Ela simplesmente não suportava o choro de crianças. Marco não se opõe. Afinal, eles vivem no apartamento do lado. Têm consigo o intercomunicador e irão alternadamente, de meia em meia hora, ver como está a filha.
Cora dormia da última vez que Anne a tinha ido ver. Mas, ao subir as escadas da casa em silêncio, ela depara-se com a imagem que sempre a aterrorizou. A menina desapareceu. Anne nunca tivera de chamar a polícia, antes disso. Mas agora eles estão lá e quem sabe o que irão descobrir... do que seremos capazes, quando levados além dos nossos limites?

Sobre a autora: Shari Lapena exerceu advocacia e foi professora de Inglês antes de se dedicar à escrita de ficção.
O Casal do Lado, o seu livro de estreia, foi o thriller mais falado de 2016, ocupando as primeiras posições das listas de bestsellers do Sunday Times e do New York Times.
Foi eleito o livro do ano pela WHSmith.
Os direitos de tradução foram vendidos para 28 línguas. 



Lars Kepler - O Porto das Almas [Passatempo Porto Editora]


Para celebrar a vinda do autor a Portugal, e em parceria com a Porto Editora, a menina dos policiais tem para sortear um exemplar do livro O Porto das Almas de Lars Kepler. Para participar no passatempo tem apenas de responder acertadamente a todas as questões seguintes.
O prémio será entregue na sessão de autógrafos dia 22 de Junho, às 18h30 na Fnac Colombo.
São mantidos os moldes do passatempo anterior: a partilha do passatempo numa rede social, pública, garante ao participante mais uma entrada válida!

Regras do Passatempo:

- O passatempo começa hoje, 14 de Junho de 2017 e termina às 11h59 do dia 22 de Junho de 2017.
- Os participantes deverão ser seguidores do blogue (fazer login na caixa dos seguidores na barra direita do blogue)
- O participante vencedor será escolhido aleatoriamente.
- O vencedor será contactado via e-mail.
- Se precisarem de ajuda podem consultar aqui

Só me resta desejar boa sorte aos participantes!!! :)




segunda-feira, 12 de junho de 2017

Jessica Knoll - A Rapariga Mais Sortuda do Mundo [Resultado Passatempo]


Com a preciosa colaboração da editora Editorial Presença, a menina dos policiais tinha um exemplar do livro  A Rapariga Mais Sortuda do Mundo de Jessica Knoll para oferecer.
Desde já agradeço à editora e aos participantes que contribuíram para o sucesso deste passatempo. Com 172 participações válidas, as respostas correctas eram:

1. O que é a vida perfeita de Ani? Uma perfeita mentira
2. Em que estado norte-americano fica a escola de Bradley? Pensilvânia
3. A adaptação cinematográfica está em curso. Verdadeiro
4. O que fez profissionalmente Jessica Knoll? Foi editora da Cosmopolitan
5. Onde vive a autora? Em Nova-Iorque

Note-se que este passatempo tinha uma particularidade facultativa: quem partilhasse o passatempo no Facebook, no seu mural e de forma pública, a participação era duplicada. Assim, quem participaria na posição 1 e cumprisse este requisito, participa com os números 1 e 2. O objectivo era divulgar o blogue aos amigos :)

E após um sorteio no random.org, a vencedora é:

107 - Elsa Martins (Sobreda) 

Parabéns à vencedora!!! A todos os que tentaram mas não conseguiram, não desistam pois terei o maior prazer em fazer estes passatempos! Boa sorte e boas leituras para todos!

Para mais informações sobre o livro A Rapariga Mais Sortuda do Mundo, clique aqui
Para mais informações sobre a Editorial Presença, clique aqui

Jessica Knoll - A Rapariga Mais Sortuda do Mundo [Opinião]

Sinopse: AQUI

Opinião: A capa de A Rapariga Mais Sortuda do Mundo é lindíssima e as expectativas estavam no auge mas não fiz nada bem em ter enveredado por esta leitura após Aqueles Que Merecem Morrer. Esta obra elevou a fasquia bem alta e para a destronar, teria que ler uma história que me deslumbrasse, o que, infelizmente, não acabou por acontecer.

Apesar de ter uma opinião um pouco ambígua no que concerne a esta obra, vou tentar explicar porquê, lançando o desafio de a lerem e partilharem opiniões comigo. Podem fazê-lo por email ou por mensagens no Facebook a fim de não desvendarmos nada sobre a história e, por conseguinte, fazer com que os restantes leitores se sintam impelidos a ler esta obra sem saber absolutamente nada sobre a mesma.

O aspecto que mais ressalta à vista foi, sem dúvida, a caracterização da protagonista, Ani. Ela assume que a sua vida é uma perfeita mentira, ainda que o glamour seja uma constante no seu dia-a-dia. Curiosamente esta caracterização fez-me lembrar um pouco a da personagem principal de Maestra, uma outra obra publicada pela Editorial Presença (e cuja continuação está prevista para breve).

De casamento marcado, a protagonista começa a desvendar, por intermédio de flashbacks, como terá sido a sua infância e, em particular, a sua vida escolar. Aí o leitor assiste àqueles comportamentos competitivos entre as jovens, algum bullying e, por fim, um terrível acontecimento que terá, certamente, condicionado a sua forma de ser, tão calculista e fria. Confesso que este terá sido o ponto alto da trama e desde então me suscitou mais interesse. 

Apesar de ser uma história com um ritmo moroso, especialmente a acção da actualidade que espelha, numa fase inicial, pouco mais do que o nervosismo associado aos preparativos de um casamento, tenho que dizer que cada vez estava mais curiosa para deslindar aquele puzzle de Ani, o que implicava um maior desejo em ler a subtrama do seu passado. O enredo do presente começava a pegar em pontas que seriam apenas destrinçadas com o conhecimento da adolescência de Ani e eu, finalmente, começava a ter o alento que precisava para prosseguir a leitura.
E eis que a autora me volta a tirar o tapete debaixo dos pés e ensaia sobre uma temática que não vejo com frequência retratada na literatura e que, felizmente, já foi mais comum nos Estados Unidos. Senti-me atordoada e compreendi o título original, The Luckiest Girl Alive.

À medida que a trama se encaminhava para o final, aguardava um clímax tenso e dramático, tal como foram essas duas passagens em particular. No entanto, este mostrou-se um pouco anti-climático e inverossímil até. Creio que na recta final, e tendo em conta que o factor identidade era tão preponderante quanto os acontecimentos em si, o clímax não me pareceu, pessoalmente, muito credível.

Ainda hoje, uns dias após ter concluído este livro, não consigo avaliar a experiência de leitura. Terá sido uma mistura de interesse com desapego, se é que me faço entender. Nunca tive uma percepção semelhante nos inúmeros thrillers que leio. Contudo, o mais chocante foi ter visto esta entrevista da autora e percebido que algo no seu passado, terá condicionado a obra. Não consegui discernir o quê mas ao pensar naquelas duas cenas em particular, fico desolada...

Um outro ponto aliado à experiência de leitura que gostaria de mencionar foi o facto de estar ter sido em conjunto com outras duas leitoras. No final do dia, no nosso chat de Facebook, mencionávamos as nossas várias teorias e percepções, que seriam deitadas por terra. Sim, apesar de não ter apreciado devidamente o final, creio que é consensual este ter sido uma grande surpresa. 

Mesmo após ter reflectido sobre o meu estado de espírito sobre esta história, não consigo ainda definir o que a mesma suscitou em mim. Nada como tirarem as vossas próprias conclusões e lerem esta obra tão peculiar. 

Para mais informações sobre o livro A Rapariga Mais Sortuda do Mundo, clique aqui
Para mais informações sobre a Editorial Presença, clique aqui




Passatempo Editorial Presença: Wilbur Smith - No Rasto do Predador


Desta vez, e em parceria com a Editorial Presença, a menina dos policiais tem para sortear um exemplar do livro No Rasto do Predador de Wilbur Smith. Para participar no passatempo tem apenas de responder acertadamente a todas as questões seguintes.
São mantidos os moldes do passatempo anterior: a partilha do passatempo numa rede social, pública, garante ao participante mais uma entrada válida!

Regras do Passatempo:

- O passatempo começa hoje, 12 de Junho de 2017 e termina às 23h59 do dia 23 de Junho de 2017.
- Os participantes deverão ser seguidores do blogue (fazer login na caixa dos seguidores na barra direita do blogue)
- O participante vencedor será escolhido aleatoriamente.
- O vencedor será contactado via e-mail.
- O blogue não se responsabiliza por extravios dos CTT.
- Apenas poderão participar residentes em Portugal e só será permitida uma participação por residência.
- Se precisarem de ajuda podem consultar aqui

Só me resta desejar boa sorte aos participantes!!! :)






Para mais informações sobre o livro No Rasto do Predador, clique aqui
Para mais informações sobre a Editorial Presença, clique aqui