quinta-feira, 23 de novembro de 2017

Sarah Pinborough - Behind Her Eyes [Opinião]


OK, com tantos livros para ler escolhi um, em ebook, que tem feito algum burburinho na internet. Falo de Behind Her Eyes de Sarah Pinborough, aclamado como o thriller psicológico cujo desfecho é o mais surpreendente de sempre. Há até uma campanha de marketing que desafia os leitores a partilhar a hastag #WTFThatEnding. Tive que ler para crer.

Desconheço se será publicado por cá (este ano foi editado pela Bertrand o livro 13 Minutos da autora) mas consta que esta história era superior, razão pela qual optei por esta obra.
Debruçando-se sobre um casal disfuncional, David e Adele, a trama adensa-se quando surge Louise. Esta, sem saber, engata David num bar e no dia seguinte percebe que é o seu novo patrão. A partir deste acontecimento, a história ergue-se sobre um triângulo amoroso (se bem que a relação do casal já esfriou tanto que já nem romance havia entre as personagens).

Nem sei muito bem como me expressar relativamente a este livro. Gostei da história com algumas ressalvas. Portanto, não fiquei completamente rendida mas a história teima em não sair da minha cabeça. Tem-me acompanhado desde ontem de madrugada, altura em que terminei a leitura.

Aprecio tramas credíveis e claramente que Behind Her Eyes não corresponde, de todo, a esta componente. A narrativa é pautada por alguns laivos de sobrenatural, ingrediente que vai ganhando força à medida que a história se desenvolve. Para mim, e claro que é uma percepção muito pessoal, o maior terror advém precisamente do ser humano, na maldade que este exerce (e que acaba por ser explorado no género de thriller psicológico). Porém, a história, sendo claramente do domínio paranormal devia ter uma outra categorização.

Não senti grande empatia com as personagens. Adele é uma narradora que suscita constantemente a dúvida e David pareceu-me também não ser digno de confiança. Há, no entanto, um aspecto que gostei na caracterização de Adele, uma psicopatia assumida e ao longo da leitura tive sempre presente a Amy Dunne (Gone Girl). Quanto a Louise, achei que, por vezes, teve atitudes contraditórias, Tanto tinha alturas em que ia à luta como mostrava autocomiseração e dependência. Sinceramente, nenhuma das personagens me cativou.

No que concerne ao malfadado twist, sim é verdade, é impossível adivinhá-lo. Fiquei estupefacta pois confesso que nunca pensei que a história se resolveria assim. Tendo em conta o que lera até então, sim é um final coerente com aquela trama. Contudo, também tenho uma noção de que será um final detestado por muitos leitores. Tenho para mim que não há meio termo para esta história e, em particular, este desfecho. 

Porém, sendo eu uma cinéfila de filmes de terror, asseguro que já vi dois filmes com situação semelhante e, por esse prisma, o final não é completamente inovador. Abstenho-me, claro, de mencionar os filmes afim de evitar qualquer tipo de spoiler.

É um livro completamente bizarro. Nem sei que nota lhe hei de atribuir no Goodreads. Dividido em três partes, confesso que não fiquei entusiasmada nas primeiras duas. Achei que o ritmo foi muito lento e não saía muito da vida rotineira de Louise, dos dilemas éticos sobre ser amiga da mulher do amante e outras crises existenciais. 
Contudo a terceira parte já foi lida com mais interesse. O final foi bem intenso, à sua maneira.

É um livro que deve ser lido open minded pois é muito diferente dos thrillers psicológicos que proliferam por aí. Gostei de ler algo fora da minha zona de conforto e, sobretudo, de ser surpreendida no final. No entanto, confesso que o paranormal não é bem a minha praia... 

Terei aqui leitores que já tenha lido esta obra tão incomum? Digam-me o que acharam, sem spoilar nada para desafiarmos outros leitores a descobrir o que afinal escondem David, Adele e Louise.

Sem comentários:

Enviar um comentário